A bolsa de valores em 2021


Apesar de todo o entusiasmo e especulações positivas para 2021, principalmente por conta da chegada da vacina, a Bolsa de Valores pareceu decolar, mas, em certo momento, caiu e continua estagnada. Diversos papéis que deram lucro e felicidade aos investidores também caíram seu valor drasticamente nos últimos meses enquanto outros subiram de preço, mas nada muito significativo.


Segundo levantamento da Austin Rating, a bolsa de valores brasileira, representada pelo seu principal índice, fica até agora no segundo lugar entre as maiores desvalorizações do mundo. Da lista com 79 índices de todo o mundo, o Ibovespa fica atrás em performance apenas do IBC, índice da Venezuela.


A queda de 14,41% no acumulado de dezembro de 2020 a novembro deste ano, além disso, coloca o país ainda muito atrás do desempenho de seus pares emergentes, que, em média, avançaram até agora 23%. Fatores como a incerteza fiscal, a alta dos juros e a performance econômica do Brasil pesaram no desempenho do Ibovespa durante todo 2021.


Considerando o desempenho em dólar dos mesmos índices, o Brasil também é destaque negativo, ficando na terceira pior colocação. O Ibovespa só se desvalorizou menos do que os principais índices da Venezuela e da Turquia – que vivem uma forte crise de desvalorização da lira em meio a indicações de juros baixos com inflação elevada.


Ao falar de papéis, dez se destacaram por maiores rentabilidades no ano, enquanto 10 se destacaram por menores rentabilidades no ano. Os que tiverem rentabilidades boas e ganharam destaque foram: EMBRAER (EMBR3 / 147,8%), BRASKEM (BRKM5 / 131,1%), MARFRIG (MRFG3 / 112,0%), JBS (JBSS3 / 88,1%), POSITIVO TEC (POSI3 / 76,1%), PETRORIO (PRIO3 / 67,2%), P.ACUCAR-CBD (PCAR3 / 46,1%), BANCO PAN (BPAN4 / 39,6%), TAURUS ARMAS (TASA4 / 31,4%) e GERDAU MET (GOAU4 / 24,7%).


Já os papéis que tiverem os piores rendimentos foram: VIA (VIIA3 / -61,9%), AMERICANAS (AMER3 / -60,7%), LIGHT S/A (LIGT3 / -58,1%), MAGAZINE LUIZA (MGLU3 / -56,6%), EZTEC (EZTC3/ -56,3%), LOJAS AMERICANAS (LAME4 / -54,8%), CYRELA REALT (CYRE3 / -47,9%), COGNA ON (COGN3 / -46,4%), MRV (MRVE3 / -43,6%) e CIELO (CIEL3 / -43,3%).