A chegada do 5G na área rural do país


5G é a quinta geração de tecnologia móvel com maior alcance e velocidade que promete grande revolução em diversas áreas. A nova rede 5G permitirá a interconexão de equipamentos possibilitando acesso a produtos inovadores e utilidades domésticas, a chamada Internet das Coisas (IoT). Essa tecnologia permitirá também a interconexão de diversos outros equipamentos em casa ou no escritório. Rapidez e eficiência que processa as informações de forma muito mais ágil.


O sinal da tecnologia “5G pura” foi acionado pelo presidente Jair Bolsonaro na abertura da Semana das Comunicações, dia 5 de maio. A primeira antena do modelo está localizada no Palácio do Planalto, em Brasília. Segundo o ministro das Comunicações, até o fim deste ano serão instalados 20 pilotos de 5G em todo o país, sendo que a expectativa é que todas as capitais brasileiras tenham internet 5G até julho do ano que vem e que todos os brasileiros tenham acesso à internet até 2028.


Muito aguardado pelas empresas brasileiras, o 5G disponível é o passaporte para acelerar o avanço da digitalização no Brasil rumo à Indústria 4.0, contribuindo diretamente para a automação e a integração de diferentes tecnologias que incluem inteligência artificial, robótica e internet das coisas. Com mais velocidade de processamento e sem necessidade de fios conectados às máquinas, é possível fazer as atividades com maior produtividade, gerando melhores resultados e trazendo maior competitividade dos nossos mercados perante o resto do mundo.


Aqui no Brasil, está em fase de desenvolvimento e implantação. Mas uma notícia já começou a animar os entusiastas de tecnologia: a primeira antena 5G em área rural foi instalada na fazenda modelo do Instituto Matogrossense de Algodão (IMAmt), em Rondonópolis (MT). De acordo com o AgEvolution, é a partir da conexão em 5G que drones, chips, GPS e equipamentos como tratores poderão entrar em ação e enviar informações sobre comportamento e saúde do animal e manutenção de condições climáticas da lavoura, por exemplo.


Neste novo contexto de digitalização do agronegócio, o ramo ganha força e reforça o papel do Brasil como protagonista no cenário mundial de produção de alimentos a partir da redução de custos e diminuição de perdas na produção. Se mesmo o país já é um dos principais na produção de alimentos, sendo líder mundial na produção de soja, imagina agora com a tecnologia a favor? Muito crescimento e recordes produtivos tendem a aparecer nos próximos anos.


O acesso à internet no campo ainda leva cidadania, conhecimento e oportunidades aos produtores rurais das áreas mais remotas, assim como oportuniza aos produtores mais competitivos a implementação das tecnologias mais avançadas no que diz respeito à agricultura digital e de precisão. Benefícios que podem levar o nosso país a outro patamar, tanto de economia quanto de educação.