A chegada do 5G no agronegócio


5G é a quinta geração de tecnologia móvel com maior alcance e velocidade que promete grande revolução em diversas áreas. A nova rede 5G permitirá a interconexão de equipamentos possibilitando acesso a produtos inovadores e utilidades domésticas, a chamada Internet das Coisas (IoT). Essa tecnologia permitirá também a interconexão de diversos outros equipamentos em casa ou no escritório. Rapidez e eficiência que processa as informações de forma muito mais ágil.


Muito aguardado pelas empresas brasileiras, o 5G disponível é o passaporte para acelerar o avanço da digitalização no Brasil rumo à Indústria 4.0, contribuindo diretamente para a automação e a integração de diferentes tecnologias que incluem inteligência artificial, robótica e internet das coisas. Com mais velocidade de processamento e sem necessidade de fios conectados às máquinas, é possível fazer as atividades com maior produtividade, gerando melhores resultados e trazendo maior competitividade dos nossos mercados perante o resto do mundo.


Aqui no Brasil, está em fase de desenvolvimento e implantação. A primeira antena 5G em área rural foi instalada na fazenda modelo do Instituto Matogrossense de Algodão (IMAmt), em Rondonópolis (MT) no início deste ano, o que deu espaço para implantações em outras cidades. Na última quinta-feira, 12, o espaço Vitrine de Tecnologias da Embrapa Soja, em Londrina (PR), cidade considerada Polo de Inovação Agro, foi palco de uma das primeiras demonstrações das aplicabilidades do 5G no agro.


A experiência foi realizada com estações técnicas que simularam a aplicabilidade do 5G para otimizar diversas atividades cotidianas do produtor rural, possibilitando a realização de consultas veterinárias digitalizadas, sistemas embarcados em máquinas agrícolas e internet das coisas para a tomada de decisões. De acordo com o AgEvolution, é a partir da conexão em 5G que drones, chips, GPS e equipamentos como tratores poderão entrar em ação e enviar informações sobre comportamento e saúde do animal e manutenção de condições climáticas da lavoura, por exemplo.


Neste novo contexto de digitalização do agronegócio, o ramo ganha força e reforça o papel do Brasil como protagonista no cenário mundial de produção de alimentos a partir da redução de custos e diminuição de perdas na produção. O país já é um dos principais na produção de alimentos, sendo líder mundial na produção de soja, com a tecnologia a favor esse índice pode elevar ainda mais. Muito crescimento e recordes produtivos tendem a aparecer nos próximos anos.


O acesso à internet no campo ainda leva cidadania, conhecimento e oportunidades aos produtores rurais das áreas mais remotas, assim como oportuniza aos produtores mais competitivos a implementação das tecnologias mais avançadas no que diz respeito à agricultura digital e de precisão. Benefícios que podem levar o nosso país a outro patamar, tanto de economia quanto de educação.