Ações para o mês de novembro: em quais investir?



A temporada de balanços do terceiro trimestre já começou, por isso, a carteira de investimentos de novembro é formada especialmente por empresas que apresentaram ou devem apresentar bons resultados. Os bons desempenhos podem atrair investidores e puxar os papéis para cima no curto prazo.


Além disso, a queda expressiva da Bolsa também sugere que os investidores optem por caminhos que possam ter mais certezas de retorno. O mês de outubro foi conturbado para o mercado de ações brasileiro. O Ibovespa entrou em trajetória de queda e encerrou o período com desvalorização de 6,74%, aos 103.500,71 pontos. Mas quais as ações para este mês? No texto de hoje, vamos apontar três. Fique com a gente.


RENNER (LREN3)

Para a temporada de balanços do 3T21, espera-se que a Renner apresente um dos melhores resultados das empresas de consumo e varejo. A empresa possui os maiores recursos entre seus pares para investir nas iniciativas que direcionam sua estratégia ecossistêmica. Os bons resultados podem estar ligados à reabertura dos shoppings centers, o crescimento das vendas online e o bom trabalho da administração de uma estrutura de omnichannel.


VALE (VALE3)

O desempenho inferior da Vale pode ser explicado devido aos preços do minério de ferro estáveis no período e às vendas de minério de ferro mais baixas durante o terceiro trimestre. No entanto, o compromisso com o guidance de produção de minério de ferro para 2021 é visto como positivo.


JBS (JBSS3)

No atual momento, sua diversificação e robustez garantem maior estabilidade em seus balanços ganhando e perdendo ao mesmo tempo por oferecer produtos de carne bovina, avícola e suína, já que as demandas se substituíram ao longo dos anos. Além disso, a demanda nos Estados Unidos permanece aquecida e com gargalo em oferta, o que alivia os segmentos da empresa atuantes no país, compensando também o péssimo momento brasileiro devido aos entraves para exportação destinada à China, que jogou o preço do boi gordo para baixo. Porém, a demanda asiática permanece sendo um driver importante de exportação em todas as frentes. Todos esses fatores justificam a escolha da ação para o mês de novembro.