Avaliações psicológicas para a área da saúde: saiba mais sobre a sua importância


Em saúde, geralmente as avaliações psicológicas são necessárias para se avaliar se o indivíduo tem condições emocionais para a realização de determinados procedimentos. Tais solicitações decorrem de dois momentos bastante específicos e que determinarão qual deve ser a conduta do profissional em atuação.


A primeira delas refere-se a um procedimento de urgência ou emergência e neste caso o profissional precisa organizar, avaliar e dar a devolutiva de qual a condição emocional daquele paciente para aquela situação. Neste contexto, a avaliação acaba sendo muito mais para se ter acesso aos dados para serem trabalhados após o procedimento, uma vez que como o próprio nome diz, emergência, é sinal de que esse indivíduo precisa do procedimento para que possa sair da faixa de risco de morte.


A avaliação psicológica muitas vezes serve para apresentar à equipe os prováveis comportamentos que essa pessoa poderá ter no momento pós cirúrgico e para que a equipe de psicologia possa organizar uma estratégia de trabalho posterior. Neste cenário, algumas vezes o psicólogo nem é chamado para fazer a avaliação psicológica em si, mas para fazer um breve preparo do paciente.


A segunda refere-se a um processo considerado eletivo. Significa que o indivíduo precisa daquele procedimento, porém há um tempo maior para que se possa avaliar as reais condições emocionais do paciente e prepará-lo com mais calma, caso seja necessário.


É importante salientar que esta avaliação em geral segue um protocolo que se procura utilizar na maior parte dos serviços de saúde que realizam o mesmo procedimento. Isso é fundamental para que a comunicação entre os serviços possam cada vez mais ser melhor estruturadas e também que se avalie da mesma forma, mesmo que em diferentes contextos.


Sendo assim, o foco da avaliação psicológica em saúde refere-se muito mais aos aspectos emocionais para enfrentar um procedimento, seja ele de urgência ou eletivo. Deve-se considerar os aspectos bio-psico-sociais do paciente – uma análise completa do contexto em que este está inserido. Os objetivos principais são medir o quão saudável será sua adaptação a todo este processo que irá mudar sua vida, bem como o quão apto está este para tal.


Não é incomum que estes pacientes desenvolvam depressão, alcoolismo, compulsão por jogos, compulsão por sexo, transtorno dismórfico corporal, ansiedade, entre outros. Portanto, deve-se, além de avaliar a presença de psicopatologias graves como esquizofrenia, depressão severa, transtornos alimentares/ de ansiedade severos, considerar a possibilidade que o paciente tem de apresentar outras psicopatologias após a cirurgia.