CDB ou LCI: qual escolher?


LCI e CDB são investimentos de renda fixa que podem ser ideais para objetivos de curto e médio prazo, especialmente para investidores conservadores. Mas qual deles escolher? No texto de hoje, vamos falar mais sobre cada um deles e fazer um comparativo para que você possa decidir em qual investir. Continue com a gente!


O CDB é o Certificado de Depósito Bancário. Ele é um título privado emitido pelas instituições financeiras, representando um empréstimo. A taxa de rentabilidade do CDB pode ser pré-fixada, pós-fixada ou híbrida. A lógica é a mesma que para os títulos públicos.


Os mais populares são os pós-fixados, principalmente os atrelados ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário). Os títulos privados híbridos costumam ter rentabilidade indexada ao IPCA. Neste caso, funcionam como o Tesouro IPCA+. Esse investimento é recomendado para médio e longo prazo. A venda antecipada pode acarretar em perdas para o investidor.


Já o LCI, Letra de Crédito Imobiliário, é um título de renda fixa emitido por instituições financeiras com o objetivo de financiar o setor imobiliário. Isto quer dizer que, ao comprar este título, você estará emprestando o seu dinheiro ao banco, que vai utilizá-lo para financiar imóveis, ou então, finalizar uma construção ou reformas. Assim como todo empréstimo tem um prazo pré-determinado, no vencimento da LCI você recebe o seu dinheiro de volta, acrescido de uma taxa de juros.


A LCI possui ainda a proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), uma instituição sem fins lucrativos que garante o recebimento do dinheiro investido caso o emissor do título venha à falência. No entanto, a garantia é de até R$250 mil por CPF e por conglomerado financeiro.


Ao comparar os dois investimentos, é possível concluir que o CDB é mais indicado para valores menores e maior liquidez. Por isso, é interessante para quem tem pouco dinheiro para investir. A LCI, por outro lado, é ideal para quem tem uma quantia maior e quer potencializar o retorno.




whatsapp-logo-1.png