Como é o mercado de trabalho para quem cursa Direito

O mercado de trabalho para quem cursa Direito é muito amplo. Ao contrário do que muitos podem pensar, a graduação em Direito não se limita à atuação nos tribunais. O profissional que se forma em Direito pode optar por atuar nas mais diversas áreas.


Embora o mercado seja bastante concorrido, ainda assim encontram-se oportunidades na iniciativa privada, pública e até advogando de forma autônoma. No texto de hoje, vamos falar mais sobre o mercado de trabalho para quem cursa Direito.


O campo jurídico é bastante amplo, o que diminui um pouco a concorrência por uma vaga de emprego. Por mais que existam muitos profissionais formados em Direito, a abrangência garante um número suficiente de oportunidades de emprego.


Além do segmento jurídico ter boa oferta de vagas, ele também oferece boa remuneração. Segundo o Guia Salarial da Robert Half de 2020, muitas áreas pagam acima de R$7.000. Podendo chegar até a R$30.000 nas carreiras jurídicas e magistraturas.


O mercado do trabalho em Direito se divide em três principais carreiras, sendo elas: advocacia, setor público e acadêmica. A advocacia é o segmento que atende ao maior número de graduados, sendo uma carreira que está sempre em alta. O profissional que segue essa área, atua na representação jurídica das pessoas, defendendo seus interesses dentro e fora de processos judiciais.


Alguns profissionais usam o conhecimento jurídico para iniciar empreendimentos também em outras áreas. Sendo possível trabalhar em empresas de segmentos diversos, como cartórios e bancos, por exemplo.


Já para quem opta pelo setor público, o concurso público é a principal via de acesso às vagas. Sendo aplicadas provas de conhecimento e, em alguns casos, de títulos para ranquear os candidatos e selecionar os mais bem colocados. É o desejo de muitos graduados em Direito, por causa da estabilidade e boa remuneração.


Quem foca na carreira pública encontra duas opções. Sendo a primeira os cargos reservados aos bacharéis em Direito, como: Juiz, Promotor e Defensor Público. Já a segunda abrange os de nível superior na administração pública, como auditores e analistas.


Por fim, a carreira acadêmica é para aqueles que preferem se manter mais no âmbito teórico do que partir para a prática como nas carreiras citadas acima. Nesse sentido, é preciso focar em se especializar em determinada área e dedicar sua carreira à pesquisa e ao ensino.


Para se destacar na carreira acadêmica, é preciso investir na formação: começando por uma pós-graduação, seguindo para o mestrado, doutorado e por aí vai. O acadêmico não pode parar de estudar em momento algum, se atualizando sempre.


Existem várias possibilidades dentro dessa carreira: ensinar em uma universidade, fazer pesquisas, escrever livros, cursos preparatórios, entre outras. Também é muito comum ver professores criando seus próprios blogs para transmitir conteúdo relevante.


A FGI oferece a Graduação em