Conheça a Historia da Pecuária e o que ela representa no Brasil

A pecuária é considerada uma das práticas humanas mais antigas, sendo realizada desde períodos pré-históricos. Por meio do seu desenvolvimento nos tempos antigos, os seres humanos passaram a fixar-se no território, além de obter seu próprio alimento.


A domesticação de animais foi fundamental para a iniciação da prática pecuária e, por consequência, a diminuição da dependência da coleta e da caça para a sobrevivência dos homens desse período.


Com o passar dos anos, a pecuária se desenvolveu como uma importante atividade econômica, inclusive, como um meio de geração de renda para a população. A partir do advento das mudanças no espaço agrário, como a modernização das práticas pecuárias, houve uma forte expansão das atividades econômicas ligadas à criação de animais. Ademais, esse cenário foi fomentado ainda pelo crescimento do consumo de carne entre as populações.


No Brasil, inicialmente, a criação de bovinos tinha o único objetivo de obter animais para tração nas fazendas, facilitando assim o plantio. Assim, a história da pecuária se inicia somente a partir do século XVII é que o gado passa a ser criado de forma independente, visando o abate.


É importante destacar que a pecuária foi uma atividade fundamental para a colonização do Brasil, uma vez que os rebanhos demandavam muito espaço para pastar, sendo necessário expandir cada vez mais as áreas de criação.


Assim, a pecuária aumentou suas fronteiras em busca de mais pasto e a criação de gado expandiu para a região Centro-Oeste do país, até então pouco explorada. Somente no século XVIII, é que a pecuária bovina chega ao Sul do país. Nessa região, a atividade encontra um ambiente propício para prosperar, uma vez que lá a água era encontrada em abundância. Rapidamente, a pecuária se torna uma das principais atividades da região.


Da região sul, a atividade se popularizou em todo o restante do país e pecuaristas buscaram cada vez mais aperfeiçoar suas técnicas e rebanhos. A partir do século XX, a atividade pecuária começa a passar por uma modernização.


Esse movimento propulsionou a introdução gradual de novas raças, estabeleceu padrões de qualidade e uma maior preocupação com a saúde e alimentação dos animais, fatores que levaram o país a dar um salto quantitativo e qualitativo na atividade.


Um novo patamar de qualidade na pecuária de corte se estabelece a partir da década de 90 com o investimento no aprimoramento genético, o que levou o Brasil ao ranking dos principais produtores e exportadores de carne e material genético do mundo.


Os produtos derivados da pecuária, como as carnes (destacando-se a bovina), os leites e as peles e os couros, ocupam uma posição de destaque na cesta de exportação de muitos países, como Brasil, Austrália, Argentina, Estados Unidos e Índia.


Além do mercado externo, a atividade pecuária é responsável pelo abastecimento dos mercados internos com alimentos (carnes, leites, ovos, mel) e matérias-primas que serão utilizadas principalmente na produção de outros gêneros alimentícios, calçados e vestuário.