Descubra como ter mais produtividade sem aumentar a área plantada


Embora seja uma grande potência do agronegócio, o Brasil tem um desafio: manter o teto da produtividade das culturas que o tornam celeiro global. Para isso, os produtores estão se adaptando de maneira ainda ágil às novas tecnologias e à utilização de técnicas de manejo inovadoras.


Os recursos humanos de um agronegócio são decisivos para a produtividade da lavoura, unindo conhecimentos teóricos e técnicos para o diagnóstico de problemas, implantação de ações e acompanhamento dos resultados.


Além disso, é preciso ter cuidado com alguns bichos. As pragas, doenças e ervas daninhas podem derrubar a produtividade de uma propriedade. É preciso que o monitoramento comece antes do plantio e se estenda até a época da colheita.


Neste cenário, a biotecnologia também tem grande importância para a agricultura e, trazendo diversas inovações para o setor, pode ser utilizada em situações como a produção e a escolha das melhores sementes. Dessa maneira, o produtor é capaz de conhecer e definir, de maneira precisa, as qualidades desejadas nas culturas, bem como o potencial de produtividade da lavoura, tudo isso com base na genética das plantas.


Por fim, investir na capacitação dos colaboradores também é de extrema importância. Isso porque os trabalhadores rurais do país, já familiarizados com o trabalho manual no campo, enfrentam o desafio de acompanhar e de se adequar ao uso dessas novas tecnologias.


O produtor rural deve, portanto, ficar atento a essa necessidade e promover a qualificação da mão de obra no campo, capacitando seus funcionários. Isso porque o aumento da produtividade está diretamente ligada à alta performance de insumos, processos e pessoas.


"Para novos avanços na produção nacional, será necessário se preocupar com o ajuste fino da lavoura, ou seja, reduzir os estresses sofridos pela cultura durante seu ciclo, mantendo assim seu potencial produtivo", afirma Gabrielle Masson, Doutora em Agronomia pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).


Ela lembra que essa modificação pode ser feita por meio de novas tecnologias que proporcionam uma nutrição eficiente durante todo o ciclo da lavoura, que reduzem perdas de ingredientes ativos, que melhoram a saúde do solo ou até mesmo que aperfeiçoam o desempenho fisiológico das plantas”, frisa.


Para concluir, a agrônoma observa que a qualidade e disponibilidade de assistência técnica têm melhorado muito no agronegócio brasileiro. “Com uma agricultura cada vez mais tecnificada, o sistema produtivo se tornou mais complexo e a tomada de decisão depende de muitos conhecimentos. Assim, a disponibilidade e qualidade da assistência técnica têm um papel muito importante no aumento da produção das culturas mais cultivadas em solo nacional”, ressalta.


A Faculdade de Gestão e Inovação oferece o MBA Gestão Estratégica do Agronegócio com o objetivo de formar profissionais completos e diferenciados para atuarem no agronegócio, proporcionando a descoberta de formas de gestão agrícola. Com aulas teóricas e práticas, o aluno consegue expandir seu conhecimento e aplicá-lo no seu dia a dia, melhorando a atuação na sua empresa.