Estresse em bovinos de corte causado pelo calor: dicas para gerenciar




Em animais confinados, o estresse térmico ocorre em vários graus e é comum em diferentes regiões produtoras de carne bovina no mundo, como Estados Unidos, Austrália e Brasil (Brown-Brandl, 2018). Nesses países, as ondas de calor são um fenômeno que ocasionou perdas substanciais para a indústria de confinamento na última década. Para se manter saudável, obrigatoriamente, o animal tem de manter sua temperatura corporal dentro de uma faixa ótima.


Se a quantidade de calor metabólico produzido internamente pelo animal, adicionada ao calor absorvido do ambiente externo começam a exceder a perda, o animal começa a acumular calor e, em fortes ondas quentes associadas à alta umidade do ar, radiação solar e velocidade do vento, o animal pode chegar a morte por hipertermia (quando a temperatura do corpo passa dos 40°C). No texto de hoje, vamos dar algumas dicas para evitar o estresse causado pelo calor.


Monitoramento

Em primeiro lugar, monitore seu gado diariamente antes, durante e depois de altas temperaturas em busca de sinais de estresse por calor. Remova o gado que está lutando e coloque-o em uma área separada onde eles possam se refrescar com mais eficácia e você possa ficar de olho neles para garantir que se recuperem adequadamente.


Planejamento

As melhores estratégias para controlar o estresse térmico em bovinos de corte são implementadas bem antes de altas temperaturas. Prepare com antecedência locais onde o gado possa se refrescar de maneira eficaz.


Sombra e água fresca

Os currais para gado de corte nem sempre têm acesso à sombra, e o calor radiante do solo agrava os efeitos do estresse térmico, mesmo em currais com piso de terra. Adicione sombra às áreas do curral sempre que possível, ou crie uma área sombreada para gado de maior risco: gado mais velho, gado jovem, qualquer com pele escura e aqueles que já tiveram pneumonia ou estresse por calor.


Manejo

Uma menor ingestão de proteína ou energia diminuirá o estresse térmico em bovinos de corte. Consulte seu veterinário e considere reduzir as quantidades de proteínas em 5% a 7%. Além disso, aumente o número de tanques de estoque e garanta que a água esteja limpa e fria. Sempre que possível, adicione novos tanques de estoque antes que a onda de calor comece, pois todos nós sabemos que o gado precisa de tempo para se ajustar às novas coisas.


Horário de alimentação

A digestão dos alimentos aumenta a temperatura corporal central do gado. Podemos diminuir o estresse calórico alimentando o gado quando ele esfria, de forma que a fermentação ocorra durante a noite.


Fluxo de ar

Remova quaisquer quebra-ventos que foram configurados para o inverno para ajudar a reduzir o estresse causado pelo calor. Além disso, analise todos os currais antes de temperaturas extremas para determinar qual tem o melhor fluxo de ar e tente usar esses currais exclusivamente durante altas temperaturas.


A redução da densidade do rebanho nos currais também pode ajudar a melhorar o fluxo de ar, portanto, considere trabalhar em lotes menores e tenha cuidado para não sobrecarregar os currais.