Gestão Pós-Pandemia: quais são os desafios?

Durante a pandemia de Covid-19, as incertezas econômicas, políticas e mercadológicas se intensificaram em meio a tantas mudanças na rotina de profissionais e empreendedores. O impacto no universo dos negócios tem influenciado a reflexão sobre os processos internos e externos da empresa em vários segmentos, alertando sobre a importância de prezar pela saúde mental e o bem-estar dos colaboradores.


Neste cenário, uma pergunta ganha destaque nas empresas: quais serão os desafios no processo de gestão pós-pandemia? No texto de hoje, vamos falar um pouco mais sobre o assunto.


Saúde mental e emocional dos colaboradores

A saúde mental e emocional tem sido um tópico cada vez mais discutido e que se relaciona diretamente com a qualidade de vida dos funcionários. Mesmo antes da pandemia, realizar medidas essenciais ao bem-estar dos empregados sempre foi uma questão de necessidade.

No período de distanciamento social, foi possível perceber que não era apenas a saúde física que estava em jogo, mas a saúde psicológica, mental e emocional também. Muitos colaboradores tiveram diversos desgastes nesse período, além de preocupação com familiares e sobrecarga de trabalho.

Portanto, um dos principais desafios da gestão de negócios agora é investir em cuidados emocionais para os funcionários. As empresas que tiverem boas certificações, como o GPTW (Great Place To Work ou “ótimo lugar para trabalhar”), serão mais procuradas e disputadas pelos profissionais.


Home office

Para reduzir o risco de contágio e manter a saúde dos funcionários, boa parte das empresas adotaram o modelo de trabalho remoto ou híbrido. Dessa forma, muitas reuniões passaram a ocorrer de forma online, impulsionando o uso de ferramentas tecnológicas e digitais para facilitar o acompanhamento dos processos.


Com a pandemia seguindo rumo ao seu fim, esse modelo de trabalho se tornou a melhor escolha para esses profissionais. É o que diz uma pesquisa realizada pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da Universidade de São Paulo (USP), onde mostrou que 70% das pessoas prefeririam continuar o trabalho em home office.


Sabendo disso, as empresas precisaram se adaptar de vez ao home office, ou pelo menos, proporcionar um modelo híbrido de trabalho. Caso contrário, perderão notáveis colaboradores.


Desafios de liderança

Em complemento com a saúde mental, a liderança também se tornou um tema abordado na gestão pós-pandemia. Em momentos de crise, o profissional que está à frente das decisões também precisa se adaptar a todas as mudanças.


Após a pandemia do Covid-19, espera-se dos líderes mais comunicação e controle sobre a situação atual. Além disso, a delegação de tarefas e monitoramento dos funcionários se torna mais complexa diante do modelo home office. Por isso, a responsabilidade de liderança passou a ser mais exigente e cobrada pelos empreendedores e gestores.


Nessa situação, estabelecer uma rotina com todas as atividades, ser participativo e compreensivo com a equipe, integrar funcionários e criar metas e estratégias serão fatores valorizados no pós-pandemia.