O que analisar antes de investir em uma ação?


Se você se considera uma pessoa de sorte, não pense que isso irá te ajudar muito quando o assunto é investimento em renda variável. Mais do que intuição ou um bom palpite, o sucesso no mercado de ações depende de uma análise aprofundada das oportunidades disponíveis na bolsa de valores.


Ao se atentar a critérios específicos na hora da escolha dos papéis, é possível aumentar consideravelmente as chances de lucrar com ações. Por isso, o bom investidor deixa o achismo de lado e se dedica a interpretar os principais indicadores da análise de ações. Mas quais são eles? No texto de hoje, vamos falar sobre o que analisar antes de investir em uma ação.


ROE

É um indicador que representa o retorno sobre o investimento feito pelos acionistas. O cálculo é feito dividindo o lucro líquido da empresa pelo patrimônio líquido, que é declarado no balanço patrimonial do último período contábil. Além de indicar quão boa é a rentabilidade do ativo, o ROE mede a capacidade da organização de agregar valor a ela mesma com seus próprios recursos, o que demonstra a eficiência de sua gestão.


Lucro

O Lucro por Ação ou LPA representa a parcela do lucro líquido correspondente a cada ação. O LPA é calculado pela divisão do Lucro Líquido da empresa pelo número de ações em circulação. Um bom LPA indica que a empresa está tendo um desempenho rentável. Por isso, o ideal é priorizar ações de companhias que apresentam aumento nos valores de seus lucros por ações. Pesquise não apenas o LPA atual, mas também sua evolução nos cinco anos anteriores. Afinal, empresas sólidas aumentam seu LPA mesmo em momentos de crise.


Dividend Yield

Não é apenas com a venda de ações que se valorizaram que você pode ganhar dinheiro investindo. Há empresas que remuneram os acionistas com uma parcela de seus lucros, receita que é chamada de dividendos. Pois o Dividend Yield é um indicador que divide quanto é pago de lucro por ação pelo preço do ativo. Ações com um um DY alto remuneram bem seus investidores na comparação com o que custam para serem adquiridas.


Preço sobre Lucro (P/L)

Essa métrica é muito utilizada por investidores que pretendem avaliar o preço justo de um ativo. O índice é calculado através da divisão do preço atual do papel pelo lucro por ação. A finalidade é identificar o valor que o acionista pode receber ao investir em uma determinada empresa levando em conta o seu lucro. Podemos dizer, por exemplo, que se uma companhia tem um P/L de 10, o preço atual do papel representa 10 vezes os lucros acumulados no último ano. Portanto, quanto maior o P/L, maior a disposição do mercado em pagar pelos lucros de uma empresa.


Dívida líquida/patrimônio líquido

A divisão da dívida de uma empresa pelo seu patrimônio líquido gera um indicador que demonstra a proporcionalidade entre o que a empresa tem e o que ela deve. O resultado é expresso tanto em porcentagem, quanto em forma de número. Um indicador igual a 5, por exemplo, significa que a companhia tem um endividamento 5x maior que o seu patrimônio. Logo, quanto menor for o número encontrado, melhor será a situação da empresa.


Informações da empresa

Não são indicadores como os demais, que dividem uma métrica ou indicador por outra, mas também são de grande importância para a análise fundamentalista. Um deles é o já citado balanço patrimonial, que informa periodicamente aos stakeholders (partes interessadas na empresa) o total de ativos e passivos da organização. Outros informes relevantes são o Demonstrativo de Resultado de Exercício (DRE), que informa qual o lucro ou prejuízo que a empresa teve em um exercício, e o Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC), que revela quanto dinheiro a companhia tem em caixa.