Os produtos agrícolas mais lucrativos do Brasil


O agronegócio brasileiro se supera ano após ano, posicionando o país como uma das potências mundiais do setor e grande produtor e exportador de diferentes produtos. Como consequência, o PIB do agronegócio brasileiro segue em forte ritmo de crescimento.


Com novo avanço no segundo trimestre de 2021, o PIB do agronegócio nacional acumula alta de 9,81% no primeiro semestre deste ano, segundo cálculos realizados pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, em parceria com a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil).


Considerando-se os desempenhos do agronegócio e da economia brasileira até o momento, a participação do setor no PIB total deve se manter em torno de 30% no ano. Segundo pesquisadores do Cepea, o impulso vem dos resultados observados para o ramo agrícola, tendo em vista que o pecuário caiu no balanço do primeiro semestre de 2021.


Neste cenário, alguns produtos agrícolas se destacam como os mais lucrativos do país. Em primeiro lugar, está a cana de açúcar. Podendo ser utilizada como açúcar, para consumo humano ou como etanol, é o produto agrícola mais lucrativo na região.


Em segundo lugar está a manga, um dos produtos premium da nossa exportação in natura, atendendo a mercados na Europa e América do Norte. É também muito procurada pela indústria de transformação para a fabricação de sucos, geleias e polpas.


Logo em seguida está a banana; a versatilidade da fruta a faz ser uma das preferidas do brasileiro, com alta procura o ano inteiro. Por ser de fácil manejo, pode trazer bons resultados para qualquer agricultor.


Em quarto lugar encontra-se a uva, com a sua produção nacional focada tanto no mercado nacional quanto internacional e tanto para consumo direto quanto para a fabricação de um dos produtos que mais crescem em vendas no país: o vinho.


Por fim, em quinto lugar, está a mandioca. Seu cultivo é uma das atividades mais tradicionais do Brasil, sendo parte da cultura da agricultura familiar e fonte alimentar na nossa região. Nosso país é o segundo maior produtor do mundo, com mais de 10% do total da produção.