Previdência Privada ou Tesouro Direto: qual escolher?


Para aqueles que se preocupam com o futuro, a aposentadoria pode ser uma preocupação. Depender apenas do INSS pode não suprir os custos mensais e despesas dos aposentados. Mas é claro que isso pode variar de pessoa para pessoa, de acordo com a sua renda.


No entanto, para aqueles que querem viver a senioridade de uma forma mais tranquila, há investimentos que podem contribuir. O mais comum para esse cenário é a previdência privada e o tesouro direto. Mas qual deles escolher? No texto de hoje, vamos falar um pouco mais sobre cada um destes investimentos.


A previdência privada ou previdência complementar é uma modalidade de investimento que permite que você construa seu patrimônio pensando no longo prazo, seja na aposentadoria, ou para atingir objetivos de pagar a faculdade para filhos, ou mesmo para obter vantagens fiscais interessantes que existem com essa aplicação.


O dinheiro aplicado em planos de previdência privada vai para fundos de investimentos constituídos para este fim e é possível resgatar esse saldo ao final do investimento ou então transformá-lo em uma renda complementar para sua aposentadoria, ou seja, receber um valor definido por mês.


Os fundos de previdência são oferecidos por seguradoras, que se comprometem ao final do período de contribuição (definido por você) a pagar ao investidor uma renda por toda a vida (ou por determinado número de anos), ou sacar o dinheiro gradualmente, ou em uma única vez. Há um compromisso da seguradora com o investidor. Dentre as desvantagens deste investimento, estão: altas taxas cobradas pelos bancos, baixa rentabilidade e riscos.


Por outro lado, o Tesouro Direto é um título público de renda fixa. Ele é emitido pelo Tesouro Nacional, que é um órgão do governo federal junto com a Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Assim, qualquer pessoa pode "emprestar" dinheiro para o governo através do investimento em um título do Tesouro Direto e recuperá-lo no momento preferível com uma taxa de juros sobre esse empréstimo. Em termos mais curtos, é como se você fosse o banco e o governo fosse seu cliente.


Essa remuneração pode ser pré fixada, pós-fixada ou híbrida. Conta, ainda, com títulos atrelados à inflação e à taxa básica de juros, a Taxa Selic, além de opções com rendimento prefixado, definido por um indicador acordado em contrato. Portanto, o Tesouro Direto se apresenta como uma forma de investimento mais versátil, que varia de acordo com o perfil mais conservador e com maiores retornos.


Para escolher o que mais se encaixa no seu perfil de investidor, você precisa estudar mais a fundo cada um dos investimentos e, só depois, decidir qual deles pode ajudar na sua aposentadoria. O passo mais importante, que é decidir envelhecer de forma mais confortável financeiramente, você já deu.