Produção rural no futuro: o que estaremos plantando daqui 30 anos?

De acordo com a ONU, haverá 9,7 bilhões de pessoas na Terra até 2050. Para alimentá-las, estima-se que a produção rural deverá aumentar em 70 %. A indústria alimentícia já está trabalhando em formas de enfrentar tal desafio e os novos alimentos, desde insetos até microalgas ou inclusive carne artificial, estarão gradualmente presentes nos supermercados.


Com o ritmo atual de crescimento, dentro de 30 anos haverá quase 10 bilhões de pessoas na Terra. Isso teria pouco significado se os recursos não fossem cada vez mais limitados e o impacto ambiental da indústria alimentícia não estivesse crescendo. De fato, segundo um estudo da ONU, essa indústria é responsável por 30 % do consumo mundial de energia e por 22 % dos gases que causam o aquecimento global.


Um estudo da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura) aponta que há evidências crescentes e preocupantes de que a biodiversidade que sustenta nossos sistemas alimentares está desaparecendo, colocando o futuro dos alimentos em sério risco.


Diante da ameaça da insegurança alimentar que paira no horizonte, surge a pergunta: em um viés de produção rural do futuro, o que estaremos plantando daqui 30 anos? Novos alimentos, novos hábitos e novas tendências, mas a agricultura orgânica e as foodtech oferecem a resposta.


Com base no exposto anteriormente, o Fundo Mundial para a Natureza (World Wildlife Fund - WWF), com a colaboração da marca de alimentos Knorr, publicou recentemente um relatório onde agrupou onze categorias que considera que serão os 50 alimentos do futuro. Ou seja, os 50 alimentos que farão parte da produção rural daqui a longos anos:


As leguminosas ainda permanecerão como a base das plantações. Fava, lentilha, feijão azuki, mungo-verde, feijão-bambara, feijão-de-corda, feijão-marana, feijão preto e feijão de soja são alguns exemplos do que continua. Os cereais e grãos também continuarão: quinoa, arroz integral, trigo sarraceno, trigo khorasan, espelta, painço africano, painço fonio, amaranto e teff.


Além destes, teremos ainda flor de abóbora, quiabo e tomate laranja; beterraba, grelo, couve kale, moringa, pak-choi, abóbora, repolho roxo, espinafre e agrião; linhaça, cânhamo, gergelim e juglans; raiz de salsinha, escorcioneira e rabanete branco; alfafa, brotos de feijão e brotos de grão-de-bico e tubérculos como raiz de lótus, ñame, jicama e batata doce.


A Faculdade de Gestão e Inovação oferece o MBA Gestão Estratégica do Agronegócio com o objetivo de formar profissionais completos e diferenciados para atuarem no agronegócio, proporcionando a descoberta de formas de gestão agrícola. Com aulas teóricas e práticas, o aluno consegue expandir seu conhecimento e aplicá-lo no seu dia a dia, melhorando a atuação na sua empresa.


O curso dura apenas 1 ano e meio, é 100% digital e os encontros acontecem mensalmente aos finais de semana no formato ao vivo, uma oportunidade perfeita para quem não tem tempo durante os outros dias. Seja um dos líderes do mercado agro! Clique aqui e se inscreva.