Produtor certificado: descubra como se tornar um


A tecnologia também ganhou espaço dentro do campo, mas não foi só com drones e plantas transgênicas não, o certificado digital está se tornando tão comum quanto a assinatura à mão e a firma reconhecida em cartório. No texto de hoje, vamos falar um pouco mais sobre isso e como se tornar um produtor certificado. Continue com a gente.


Além de garantir a segurança e autenticidade nas transações eletrônicas, o certificado digital contribui para o fim da papelada de documentos que precisavam ser acumulados nos escritórios. Com ele, é possível assinar documentos online de forma que eles tenham validade jurídica, cumprir obrigações do negócio pela internet e autenticar transações do seu computador.


Por ser um grande aliado aos diversos segmentos do mercado, o certificado digital tem se tornado, ano a ano, uma peça fundamental para o bom desempenho de empresas de produtores rurais. Não só isso, as empresas que não tem seu certificado digital para produtor rural em pleno funcionamento podem se privar de muitas oportunidades, já que, em alguns casos, o documento se tornou um pré-requisito para novas parcerias.


Mas como se tornar um produtor certificado? Basta ser do seu interesse próprio. Uma vez que a unidade obtenha essa certificação e obedeça aos requisitos de clientes específicos, a integradora consegue certificar a granja. O certificado digital para produtor rural pode ser encontrado em dois modelos mais comuns: e-CPF, para pessoas físicas, e o e-CNPJ, para pessoas jurídicas.


Dentro deles, existem categorias A e S, sendo a primeira responsável por identificar o assinante e a segunda, a validade do documento e das informações contidas nele. A comercialização do certificado digital inclui os formatos A1 e A3 na classe A, com durações de 1 ano e 3 anos, respectivamente. Após o vencimento desse período, é necessária a renovação, que hoje pode ser feita por videoconferência.


É interessante ressaltar que os formatos são regulamentados pela Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil) e os modelos A3, em especial, são disponibilizados por meio de dispositivos físicos como tokens, pendrives ou smart cards, que permitem a utilização em apenas um computador por vez.


Vale lembrar, porém, que o modelo A1 permite a utilização em mais de um computador em simultâneo, já que uma vez instalado está pronto para uso. Com essas informações em mente, basta entrar em contato com uma empresa certificadora ou um escritório de contabilidade do agronegócio que realize este serviço. E pronto, você se tornará um produtor certificado.


É válido salientar que uma granja, para ser certificada, deve cumprir à risca as normas de biosseguridade, e isso inclui seguir os critérios e os protocolos individuais de cada certificação. Uma produção de frangos orgânicos, por exemplo, têm legislações diferentes da produção de frangos caipiras.