Redução na estimativa de produção de soja e aumento na de milho


Apesar do Brasil ter batido recordes na produção de soja nos últimos anos, existe uma redução na estimativa para o futuro. É o que comprova a consultoria Datagro que cortou sua estimativa para a safra brasileira de soja 2021/22 de 125,10 milhões de toneladas em março para 124,73 milhões de toneladas, conforme o seu 7º levantamento de ciclo.


Segundo o coordenador de grãos da Datagro, Flávio Roberto de França Junior, a produtividade caiu intensamente no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul e Rondônia, além de recuos residuais em Minas Gerais, Distrito Federal e Pará. Com ganhos esperados apenas em Mato Grosso, Goiás e região do Matopiba.


Inicialmente, a consultoria estimava potencial produtivo de 145 milhões de toneladas de soja no país na safra atual. A consultoria reforçou que o fenômeno climático La Niña trouxe “expressivo prejuízo” à safra de soja e milho de verão. Em relação à área, a Datagro prevê que o plantio da oleaginosa tenha alcançado 41,18 milhões de hectares no ciclo 21/22, 5% a mais do que o semeado na temporada anterior. Em março, a consultoria previa área de 41,09 milhões de hectares para a cultura.


Sendo assim, ainda de acordo com a consultoria, o produtor brasileiro da oleaginosa ratifica o décimo quinto ano consecutivo de aumento da área plantada. A Datagro informou também que a colheita de soja entrou na reta final no país.


Até 29 de abril, de acordo com levantamento realizado pela consultoria, 94,9% da área projetada havia sido colhida, avanço semanal de 2,2 pontos porcentuais. Na comparação com o ano passado e com a média dos últimos cinco anos, a colheita da oleaginosa está atrasada ante 96,9% e 96,1%, respectivamente.


Já o milho, a consultoria Datagro elevou sua estimativa para a safra brasileira de milho 2021/22, incluindo produção de verão e inverno, de 118,31 milhões de toneladas previstas em março para 118,73 milhões de toneladas. Conforme o levantamento, se confirmado, o volume será 35% maior do que o colhido na temporada 2020/21, de 87,72 milhões de toneladas, quando houve quebra de produção em virtude de condições climáticas desfavoráveis.


A área plantada com o cereal na safra 21/22 também foi elevada. Deve crescer 9% na comparação com a temporada anterior, de 20,47 milhões de hectares para 22,21 milhões de hectares. Para a safra de milho verão, a consultoria aumentou a previsão de produção de 24,74 milhões de toneladas para 24,80 milhões de toneladas – sendo 17,95 milhões de toneladas do Centro-Sul e 6,85 milhões de toneladas do Norte/Nordeste. Apesar da revisão positiva, se confirmada, a safra será 1% menor que o colhido na temporada anterior, de 25 milhões de toneladas.



whatsapp-logo-1.png