Saiba quem são os profissionais de Segurança Pública


A Segurança Pública contempla ações variadas de caráter preventivo (educação, saúde e emprego); legislativa (definição de crimes e penas); de fiscalização e repressão (atuação dos Órgãos policiais/ Ministério Público); de responsabilização (julgamento do acusado pelo juiz); de punição (cumprimento da pena pelo condenado) e a de ressocialização (reintegração do preso à sociedade).


Os profissionais de Segurança Pública e das instituições policiais são parte fundamental da democracia. Para que seja possível o diálogo e a necessária profissionalização deste setor, é preciso conhecer suas dinâmicas e valorizá-las como agentes centrais da modernização das polícias. Mas quem são os profissionais de Segurança Pública responsáveis por esta ordem?


O estudante, quando termina o curso de Segurança Pública, encontra um mercado de trabalho vasto de oportunidades para profissionais capacitados na área. Portanto, os profissionais podem trabalhar em diversos órgãos públicos municipais, estaduais e federais.


Dessa forma, os profissionais de Segurança Pública são: polícia militar, civil, rodoviária federal e federal, guarda municipal, penitenciárias, corpo de bombeiros, secretarias de segurança municipais e estaduais e ministérios.


Vale ressaltar que cada órgão público tem seu próprio método de contratação – concurso público e cargos comissionados. Antigamente, as pessoas que ocupavam esses cargos não necessitavam de diploma para exercer as profissões.


Por isso, muitos profissionais passam primeiro pelo concurso e, só depois, investem em um curso superior para subir na carreira e aumentar os rendimentos. Contudo, o desenvolvimento das tecnologias na área, e as novas habilidades necessárias, fazem a graduação em Segurança Pública cada vez mais essencial para os profissionais do segmento.


A FGI, Faculdade de Gestão e Inovação, dentre tantos cursos em sua grade, oferece a graduação em Gestão de Segurança Pública, que tem duração de 2 anos e é o mais completo do mercado. Além disso, favorece o trabalho conjunto de professores e alunos para conceituação, implementação e análise de resultados de cada um.


Sendo assim, os encontros mensais ocorrem em formato real timing, onde o professor expõe de forma conceitual os assuntos e sugere atividades avaliativas. Com a resolução das atividades os alunos verão o conhecimento sendo aplicado na prática. Clique aqui e saiba mais.