Tendências de inovação para o agronegócio: descubra quais são


O agronegócio tem se baseado em estratégias e tecnologias de ponta para entregar inovação e facilidades no mercado. A tecnologia empregada nos defensivos agrícolas ajudou a aumentar a produção agrícola brasileira nas últimas décadas, mas as novas tecnologias farão com que o Brasil aumente ainda mais a produtividade agrícola nos próximos anos.


Tecnologia e inovação andam lado a lado, e no mercado atual ambas têm proporcionado avanços no campo como nunca antes visto. Novas plataformas, meios de precisão, inteligência artificial, automação, bioestimulantes e modelos de negócios são algumas mudanças que aconteceram com o passar dos anos.


Essas transformações otimizam o tempo e o custo do produtor, aumentam a sustentabilidade e proporcionam a possibilidade de estudar, mais afundo, o comportamento do consumidor. Com essas inovações, mesmo pequenas propriedades rurais também conseguem alta produtividade em pouco espaço de plantio.


Isso pode ser percebido com os resultados do ano anterior. De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), no ano passado, o PIB (Produto Interno Bruto) do agronegócio brasileiro avançou 24,31%, comparado ao ano anterior, e teve participação de 26,6% no PIB do país – em 2019, foi de 20,5%. Isso representou, em valores monetários, quase R$ 2 trilhões – o PIB brasileiro totalizou R$ 7,45 trilhões em 2020.


Os principais aspectos da inovação são a sustentabilidade, a profissionalização, a gestão baseada em dados e o uso de novas técnicas na produção. Além disso, esse processo deve combinar conectividade, internet das coisas e agricultura de precisão, sendo as ferramentas digitais as grandes protagonistas dessa revolução.


Sendo assim, as principais tendências são: profissionalização no campo, automação, agricultura de precisão, inteligência artificial e produção sustentável. Agricultura vertical e marketplace agrícola são dois de vários exemplos práticos desta realidade.


No entanto, é válido salientar que a inovação no agronegócio ainda enfrenta barreiras, sendo a principal delas a falta de conectividade no país, já que 50 milhões de hectares não possuem acesso à internet.