Vale a pena fazer avaliações para atuar no processo de porte de arma?


O brasileiro possui atualmente o direito de possuir armas de fogo de forma ainda muito restrita. A lei legislação atual de armas (Lei nº 10.826 de 2003 – Estatuto do Desarmamento), determina que após todo o processo de compra, que inclui avaliação psicológica e de tiro, comprovação de idoneidade moral e autorização da Polícia Federal, o proprietário ainda possui inúmeras dúvidas sobre suas responsabilidades e o uso correto de sua arma de fogo.


De acordo com a (Lei nº 10.826/2003), o Registro de Arma de fogo permite ao proprietário de uma arma de fogo possuí-la dentro de sua residência, ou ainda, no seu local de trabalho, desde que seja o titular ou responsável legal pelo estabelecimento. Fora destes locais, é necessário possuir o Porte de Arma de Fogo, que é um documento expedido pela Polícia Federal, o qual tem o poder discricionário de decidir quem poderá portar uma arma de fogo fora de sua residência ou local de trabalho.


O psicólogo atua como uma peça-chave nesse processo. A avaliação psicológica leva em consideração principalmente características de comportamento, temperamento, traços de personalidade que podem oferecer pistas sobre a agressividade, tais como: maturidade emocional, habilidade de empatia, bom raciocínio lógico e habilidade de senso crítico na tomada de decisões, flexibilidade e adaptação, capacidade preservada de autocrítica, autoimagem preservada, capacidade preservada de tolerância à frustração, equilíbrio e estabilidade emocional, autoestima preservada, forte tolerância ao estresse, boa capacidade de seguir regras sociais, honestidade, responsabilidade, bom controle dos impulsos; entre outros.

Mas vale a pena trabalhar nessa área tão específica da psicologia? E a resposta é sim! Além de ser um setor dinâmico, está em fase de crescimento no Brasil. De acordo com dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, o Brasil dobrou o número de armas nas mãos de civis em apenas três anos. Em 2017, segundo a Polícia Federal, o Sistema Nacional de Armas (Sinarm) contabilizava 637.972 registros de armas ativos.


Ao final de 2020, o número subiu para 1.279.491 – um aumento de mais de 100%. Além de novas pessoas se cadastrando para ter armas, houve também um aumento do arsenal. Decretos editados pelo presidente Jair Bolsonaro e a autorização formalizada pela PF, em agosto de 2020, para a compra de quatro armas de fogo por pessoa, fizeram com que mais armas entrassem em circulação. Foram registradas 186.071 armas novas por civis, um aumento de 97,1%.


Ou seja, o mercado está com aumento exponencial e as vagas para atuar como psicólogo aumentaram seguindo esse fluxo. Se você deseja atuar nesse nicho, cabe munir-se e atualizar-se cada vez mais de conhecimentos técnicos e práticos para atender as demandas da sociedade, pautando seu trabalho nos princípios da qualidade técnica e do rigor ético.


Um profissional que consiga avaliar psicologicamente, dentro desses princípios, será diferencial no seu campo de atuação. Na FGI, profissionais da área podem se atualizar e ganhar amplitude em suas carreiras com a pós-graduação em Avaliações Psicológicas. Saiba mais.